sábado, 30 de julho de 2016

Heathcliff era negro?

Estou embasbacada, chocada, impressionada...Eu tenho quase certeza de que Heathcliff era de fato negro. Já havia lido uma postagem sobre o assunto e duvidei muito, pois me pareceu que a descrição no livro do qual se referia sobre sua cor o determinava como moreno, como simplesmente alguém mais escuro, não necessariamente negra. Mas isso é o que acontece quando lemos um livro pela primeira vez, mas ao reler muita coisa fica mais clara. Mesmo tendo relido a passagem várias vezes, não é a mesma coisa, tem que se reler o livro e ver cada detalhe.


Estou escrevendo este post muito chocada porque se de fato ele era negro, Emily se mostra mais ainda uma verdadeira escritora e uma lutadora, porque escrever um romance entre um branco e um negro na metade do século 19 seria um absurdo, mas ela fez isso de forma tão escondida, caramba! E quem pensaria em escrever tal coisa naquela época?!

Morte de Emily Brontë

PhotobucketHoje é o aniversário de Emily Brontë, e neste post falarei como decorreu a sua morte, que infelizmente veio muito cedo, sendo a primeira a morrer de suas irmãs, deixando apenas alguns poemas e um único livro, é uma pena. Acredito que ela teria escrito muitas obras de arte.



Emily morreu em 19 de dezembro de 1848, com tuberculose, e foi enterrada na igreja de St. Michael and All Angels Cemetery, Haworth, Oeste de Yorkshire, Inglaterra.

A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro). No caso de Emily foi nos pulmões.

fonte.

A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa a pessoa, portanto, a aglomeração de pessoas é o principal fator de transmissão. A pessoa com tuberculose expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo contaminando-o. Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da tuberculose.

Emily negou qualquer tipo de ajuda médica ou das irmãs antes de morrer.



Esta é a pilastra na igreja de St.Michael :

A sepultura da família Brontë está situada abaixo,
próximo ao local onde ficava o banco de igreja dos Brontës
na antiga igreja.
Os seguintes membros da família foram queimados aqui:
Maria e Patrick.
Maria, Elizabeth,
Branwell,
Emily Jane, Charlotte.


a única que não foi queimada nesta igreja foi Anne, que farei posts em breve.

terça-feira, 26 de julho de 2016

Os bandeirantes eram judeus?

PhotobucketSim, pasmem, alguns bandeirantes eram sim judeus, sendo que Portugal era totalmente contra o judaísmo e os expulsou do país! Recentemente a Globo News lançou no Globo News Literatura uma entrevista Anita Novisky com uma autora que falou sobre esse assunto também. Infelizmente no site da Globo News para ver os vídeos precisar entrar com seu registro da sua TV acabo, então caso esteja interessado clique aqui.


Bandeirantes é a denominação dada aos sertanistas do período colonial, que, a partir do início do século XVI, penetraram nos sertões da América do Sul em busca de riquezas minerais, sobretudo o ouro e a prata, abundante na América espanhola, indígenas para escravização ou extermínio de quilombos.

Os historiadores nunca primaram pelo equilíbrio ao retratar Antônio Raposo Tavares (1598-1658), um dos mais mitológicos bandeirantes. Ou era guindado ao céu como o "bandeirante magno, vulto formidável", segundo a descrição de Affonso Taunay, ou era jogado no inferno como assassino, herege e matador de padres.


segunda-feira, 25 de julho de 2016

D.Pedro II, um erudito que conheceu Nietzsche

PhotobucketSabia que D.Pedro II conheceu Nietzsche e aquele até que agradou este? Por incrível que pareça, o último rei do Brasil parecia ser um homem muito culto e surpreendeu imensamente Nietzsche. Este artigo foi publicado na revista "Nossa História" na 22ª edição


Em 1871, o filósofo alemão Friedrich Nietzsche entrou por engano num vagão exclusivo que transportava um brasileiro de passagem pela Áustria. O ilustre pensador percebeu o equívoco e tentou retirar-se, mas o ocupante do luxuoso recinto convidou-o a viajar junto com ele. O brasileiro desconhecido puxou assunto e, em pouco tempo, a conversa já estava animada. O ocupante do vagão, que viajava com sua comitiva, era um grande interessado em História, patrocinava as artes, falava diversas línguas (antigas e modernas) e era um entusiasta da filosofia.Após uma hora de viagem, Nietzsche chegou a seu destino e desceu do trem. Impressionado com a sapiência do gentil anfitrião, quis logo saber de quem se tratava. Pois não era outro senão o imperador do Brasil, d. Pedro II.
Nossa História - 22ª edição 

Romance erótico de mais de 4 mil páginas

2 Hoje vim apresentar um livro bem polêmico, que bate qualquer romance erótico que você já tenha lido. Um livro que não li ainda, mas que achei muitíssimo interessante pelo fato de ser cercado de mistério sobre o autor e da polêmica acerca dos fatos contidos na obra.



Minha Vida Secreta - My Secret Life - é o diário de um senhor descrevendo sua vida sexual e suas experiências na Inglaterra Vitoriana. Foi publicado em 11 volumes particulares por 7 anos começando em 1888. O diário possui mais de um milhão de palavras e 4 mil páginas. A obra é considerada extremamente repetitiva de desorganizada.

Mas o fato de ser uma obra que revela uma vida incomum e "suja"  para a época e que muitos acabam escondendo esse lado mais pervertido de seus amigos e família, o torna muito valioso para os historiadores.

Foi descrito como:


"Um dos livros mais estranhos e mais obsessivos já escrito"
Patrick J. Kearney (1982) A History of Erotic Literature. Parragon: 127

domingo, 24 de julho de 2016

Emily Brontë tinha o braço deformado?


PhotobucketPor incrível que pareça, li no Wikipedia que ela havia sido mordida por um cão e fui procurar por mais fontes e descobri de onde isso tinha sido tirado.    

Wikipédia BR
Emily passava os dias, em casa, solitariamente. Em certa ocasião, um cão a mordeu no braço, e ela mesma cauterizou a ferida, ficando com o braço definitivamente deformado.
Elizabeth Gaskell - The Life of Charlotte Bronte

Elizabeth Gaskell, a famosa autora de Norte e Sul, escreveu uma biografia sobre Charlotte Bronte onde menciona Emily Bronte mordida por um cachorro com raiva.
"She did not yell out: Catherine's courage is reminiscent of Emily's own fearlessness with dogs. In one incident, later immortalized by Charlotte in Shirley, Emily used a 'red-hot Italian iron' to cauterize a wound she sustained from a dog suspected of having rabies." [...] 
Em Português: "Ela não gritou. A coragem de Catherine é remanescente da própria falta de medo de cachorros de Emily. Em um incidente, mais tarde imortalizado por Charlotte em Shirley, Emily usou um ferro italiano quente para cauterizar um machucado que ela teve de um cachorro suspeito de ter raiva."
(Elizabeth Gaskell, The Life of Charlotte Bronte, pp. 184-5.)"

Será verdade? Acredito que sim :)

Emily Brontë – a observadora

    
1Olá pessoal, neste post vim falar um pouco da irmã do meio, Emily Brontë, que é a minha favorita por ter escrito o meu livro favorito, O Morro dos Ventos Uivantes. Ela é a irmã que menos se sabe a respeito, principalmente porque era muito quieta e reservada. Acredito que não era por timidez, pois seu livro não mostra nada de alguém tímido, mas mostra o retrato de uma pessoa observadora do mundo ao seu redor.

Charlotte Brontë, no seu prólogo para a edição de Wuthering Heights de 1850, falou da relação da irmã com as pessoas:

"Embora seus sentimentos pelos que a cercavam fossem benevolentes, relações com eles ela nunca procurou, nem, com poucas exceções, as experimentou. E mesmo assim ela os conhecia: sabia seus costumes, sua linguagem, a história de suas famílias; podia ouvir sobre eles com interesse, e falar deles com detalhes (...); porém, com eles, raramente trocou uma palavra"